Buscar
  • Thaís Marques

TATTOO: UMA PAIXÃO ANTIGA

Mais um mês iniciando e com ele além da mudança de clima, inúmeras ideias e assuntos e como sempre, escrevendo sobre tudo aquilo que gosto.

Quem me conhece ou já viu minhas fotos nas redes sociais, sabe o quanto sou apaixonada por tatuagens, tenho sete e em cada uma delas um significado, seja uma fase da vida ou uma homenagem para alguém. Pensei em escrever um pouco sobre o que cada uma 'significa', já que sempre recebo algumas perguntas como 'o que significa? doeu? com quem você fez?' e por aí vai.

Mas como ainda tenho o projeto de um canal no Youtube (não sei quando saíra, mas um dia vai!), seria um assunto legal para falar e até para tirar algumas dúvidas, não que eu seja 'profissional' no assunto, mas depois de passar algumas vezes pelo mesmo processo de cuidado, cicatrização e tudo mais, é bem mais fácil opinar.

Hoje em dia ainda vejo muitas pessoas com um certo 'preconceito' com quem tem tatuagem. Minha família mesmo nunca foi a favor, mas como eu fiz minha primeira tattoo com dezoito anos e com meu próprio dinheiro, não tinham muito o que fazer além de dizer 'essa é a última né?'. Não sei dizer exatamente de onde surgiu minha vontade em ter um corpo 'tatuado', mas sempre achei que as cores deixavam tudo mais 'alegre, além de achar importante ter gravado na pele fases e momentos que, como lembranças, nos fazem pensar em como a vida muda e nós também mudamos.

A tatuagem não é algo moderno, já que muitos e muitos anos atrás já estava presente em tribos, soldados, marinheiros, e em muitos outros 'tipos' que a história e registros nos contam. Alguns anos atrás quando decidi fazer minha primeira tattoo comecei a pesquisar fontes, desenhos que me agradassem e acabei encontrando algo que não imaginava: um 'mapa' das dores causadas em cada parte do corpo ao se tatuar.


É claro que cada pessoa reage de uma forma, isso explica os vídeos de tanta gente chorando e dramatizando ao tatuar, mas serve como uma base para escolher o local de um primeiro ou novo desenho. Um dos fatores importantes é escolher um bom profissional (das minhas sete tatuagens, seis são com o mesmo tatuador) e que lhe passe confiança, indicações de amigos também valem nesse caso. Além de pensar em tatuar algo que tenha 'a ver' com você, que signifique algo na sua vida, já que estará presente nela para sempre, a não ser que você remova o desenho depois de muitas e muitas sessões dolorosas, assim como a Bárbara Evans.

Depois de fazer a primeira, você provavelmente irá pensar na próxima. Um ciclo infinito de significados, lembranças, gostos e muita, muita paixão.

0 visualização

© 2019 por Thaís Marques

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube